NOSSOS ÁRBITROS
Onurb Couto Bruno

Brasileiro, viúvo, nascido em Muriaé-MG em 26/08/1935, filho de Dante Bruno e de Jandyra Couto Bruno.

Fez os estudos fundamentais no Ginásio São Paulo (Muriaé-MG) e no Colégio Leopoldinense (Leopoldina – MG). Ingressou no curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade do Distrito Federal (atual UERJ) em 1.954, bacharelando-se em 1.958. Nesse tempo, foi estagiário do Defensor Público na 13ª Vara Criminal do então Distrito Federal e solicitador acadêmico com atuação no foro local e junto aos Tribunais Superiores (STF, TFR e TST).

 

                            Concluído o curso de Direito, exerceu a advocacia em Muriaé-MG e comarcas vizinhas, de 1.959 a 1.964, e, concomitantemente, as funções de Promotor Adjunto em Muriaé e de professor de Português em colégios daquela cidade.

 

                            Aprovado em 4º lugar em concurso público de provas e títulos, ingressou na magistratura mineira, sendo nomeado Juiz de Direito da Comarca de Carmo do Paranaíba. Ali exerceu a magistratura e o magistério a nível secundário até fins de 1.966, quando, a requerimento, entrou em disponibilidade, transferindo-se para o Rio de Janeiro, onde voltou ao exercício da advocacia e se iniciou no magistério superior, lecionando Direito Comercial, a partir de 1.967, na Universidade Gama Filho.

 

                            Aprovado em 2º lugar em concurso público de provas e títulos, ingressou na magistratura do antigo Estado da Guanabara, como Juiz Substituto, no ano de 1.971. Exerceu suas funções em Varas de Família, Cíveis, Criminais, de Registros Públicos, de Acidentes do Trabalho e, principalmente, de Fazenda Pública. Promovido por antiguidade em 1.974, foi titular da 6ª Vara Criminal e, posteriormente, por remoção, da 18ª Vara Cível, da 3ª Vara de Falências e Concordatas e da 15ª Vara Criminal. Nesse período, foi Juiz Eleitoral da 14ª Zona Eleitoral e Suplente do Tribunal Regional Eleitoral, Revisor e depois Secretário da Revista de Jurisprudência do Tribunal de Justiça do Estado da Guanabara, depois do Estado do Rio de Janeiro, e Secretário Geral da Associação dos Magistrados Brasileiros enquanto Presidentes os Desembargadores Felipe Augusto de Miranda Rosa e Marins Peixoto. Coordenou o Centro de Aperfeiçoamento do Pessoal da Justiça (CESAJU), foi presidente de várias comissões de concurso para ingresso nos serviços auxiliares da Justiça e membro de comissão de concurso para ingresso na magistratura do trabalho. Participou de comissões de inquérito instauradas pela Corregedoria Geral da Justiça, inclusive da primeira que apurou fraudes contra o INSS. Integrou a delegação brasileira no Congresso da União Internacional dos Magistrados realizado na Suécia no ano de 1.979, apresentando relatório sobre o direito de não prestar testemunho à luz do direito positivo brasileiro. Nesse mesmo ano, participou, em Portugal, das “Jornadas Luso-Brasileiras”, pronunciando conferência sobre a Lei nº 6.649 de 16/05/79 (Locações) na Relação do Porto.

 

                            Em 1.981, foi designado Juiz Auxiliar do Corregedor Geral da Justiça, função que exerceu até o final do mandato do Des. Olavo Tostes Filho (31/01/83), ano em que se aposentou, retornando à advocacia, primeiramente no escritório do Prof. Arnoldo Wald, depois na sociedade Andrade, Fichtner e Bruno Advogados, em escritório próprio e, finalmente, na sociedade Bruno & Figueiredo Advogados.

 

                            Desde 1.967 exerceu o magistério superior, lecionando Direito Comercial nas Universidades Gama Filho, Estácio de Sá, Bennet e PUC, e, após 1.975, apenas na PUC-RIO, na qual permaneceu até 1.995. Foi professor do CEJUR e um dos fundadores e presidente do Centro de Estudos, Pesquisas e Atualização em Direito – CEPAD. Organizou, presidiu e participou como conferencista de dezenas de cursos, congressos e seminários na área e em ramos diversos da ciência jurídica.

 

                            Publicou várias monografias sobre temas de Direito Comercial em revistas especializadas (Revista Forense e Revista do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro) e é autor de pareceres nessa matéria.

 

                            Integrou o Tribunal de Ética e Disciplina da OAB/RJ e presidiu a sua Turma Única (deontológica).

 

                            Foi agraciado com as medalhas do “Mérito Judiciário Eleitoral”, conferida pelo TRT-RJ, “Rui Barbosa”, outorgada pelo Tribunal de Contas deste Estado, do Mérito Judiciário, concedida pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro e “Tiradentes” outorgada pela Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.

 

                            Atualmente, concentra-se no exercício da advocacia e na elaboração de pareceres.

 

FUNDADORES
Rua Candelária, nº 9, Gr. 803 — Centro, Rio de Janeiro, RJ, 20091-904
Tel.: +55(21) 2233-9974 / +55(21)2223-0194 / +55(21) 2514-1209 / +55(21) 2514-1214. Fax: +55(21) 2514-1209
E-mail: cbma@cbma.com.br
Horário de Atendimento: 10:00h às 17:30h
Desenvolvido por:
Desenvolvedora do Site